Desde pequeno, sempre fui treinado pelo meu próprio ego a guardar tristezas. Aprendi, de alguma maneira, que se partilha o riso, apenas, e que se esconde a mágoa, constantemente. Por isso, levo esse sorriso no rosto, e essa dificuldade de falar que dói; talvez seja por esse motivo, que quando triste, brota em mim essa […]

 
Ler mais →

As paredes eram finas, pouco menos finas que o papel, escutar a privacidade alheia era inevitável… – Nós deveríamos sair desse inferno às vezes… – Escute… Eu só quero fumar a merda do meu cigarro. – Você vai morrer sozinho… – Nem as filhas da puta, das tartarugas marinhas, deixam de morrer, sozinhas… Ela deslizou […]

 
Ler mais →

você percebe que não vai dar certo quando acorda no meio da noite, de pau duro e com fome ……………………………..e não é culpa dela, nem sua é de qualquer merda metafísica sem explicação ela é uma boa mulher, tem um emprego decente, uma bunda enorme e peitos pequenos, sem frescura, depois de meter, me chupou […]

 
Ler mais →

Então, como vim parar aqui? Escorado nessa parede úmida de concreto e areia, enxergando poucos palmos de luz… Luzes alaranjadas, luzes dos postes, que dançam, aos meus olhos ébrios… Um cigarro na boca e seis na carteira, meu corpo não responde, posso estar morto, há muito tempo, devo estar… Tudo acontece, entre uma hora e […]

 
Ler mais →

Eu tinha um porco de estimação que se chamava Rolete. Eu amava meu porco mais que tudo. Passeava por toda vizinhança com ele. Rolete era sempre atração por onde passava, todo mundo parava para passar a mão e dizer um oi para meu porco. Fazíamos quase tudo juntos. Dormíamos, tomávamos café, íamos para escola, jogávamos […]

 
Ler mais →

A inóspita senhorita abriu a porta e permaneceu muda A morte se passou por mim, ou ao contrário Terceira porta esquerda no corredor sem luz…   ‘’Você veio…’’ ‘’É’’ ‘’Eu vou morrer’’ ‘’Eu sei.’’ ‘’Por que você veio?’’ ‘’Pra te ver.’’ ‘’Que diferença isso faz?’’ ‘’Não sei.’’ ‘’Eu nunca te amei.’’ ‘’Eu sei.’’ ‘’Então por […]

 
Ler mais →