Me escapam dois ou três vocábulos. o som emitido do tom de minhas silabas as vezes se perdem A entonação necessária não apaga a atitude incerta os emaranhados de palavras não corrigem o erro A valsa necessária, simples(mente) não existe mais tento desesperadamente enlouquecer Às vezes perco o comando e voar sem direção me faz […]

 
Ler mais →

Certo tempo em um corredor frio me peguei com meus botões analisando uma máquina de café. Como a dispersão imediata de nosso tempo nos faz encontrar delírios onde talvez nunca houvesse. Saco uma moeda e coloco na máquina. Por alguns segundos ela me devolve. Insisto por algumas vezes até ela aceitar. Escolho um café forte. […]

 
Ler mais →

Por Catarina – Capitulo 1   Eram quase dez horas da manhã, havia combinado um pouco depois desse horário em um café próximo ao porto. Gostava desse lugar, um ar sofisticado com vista para o lago arco íris. Casaria aqui se pudesse, mas Julian preferiu uma cerimônia no campo. Caminhava a passos curtos, relutava em […]

 
Ler mais →

Certa vez sai com uma prostituta, e ela disse que me amava. Foi a declaração de amor mais sincera que eu tive durante aquelas duas horas que meu dinheiro poderia pagar. Nunca fui um homem de amores improfundos. Sempre procurei a significância em qualquer momento e qualquer corpo que minhas mãos tocassem. Não vejo sinceridade […]

 
Ler mais →