Link dos capítulos já postados – pulpstories.com.br/category/sombra-negra  CAPITULO DOZE – Sombra! Nosso papo está muito bom com todo esse negócio de caixa do apocalipse, mas meu tempo está acabando. Preciso voltar. Recarregar as baterias. Você sabe bem Sombra, se eu ficar muito tempo, não consigo voltar mais. – Falou Geisebel se empanturrando de salsichas. – Tranquilo […]

 
Ler mais →

Caminho pesarosamente, há calos em meus pés, procuro um lugar para acampar. Minha cabeça dói, imagens do dia anterior continuam vindo e indo, elas me atormentam. Meu rum acaba. Avisto uma taberna, luzes fracas emanam dela, me aproximo. Os cavalos, inquietos, relincham ao canto, um cheiro podre se impregna em minhas narinas. Os borborinhos, conversas […]

 
Ler mais →

Link de todos os capítulos já postados –http://pulpstories.com.br/category/sombra-negra/ CAPITULO NOVE O demônio com cara de galã, vendo aquela cena de seus fiéis escudeiros despedaçados e o mortal Sombra Negra dançando a Macarena em sua cara, começou a bater palmas. – Parabéns pistoleiro. Realmente você me surpreendeu, fazia tempo que não me divertia tanto com um […]

 
Ler mais →

Link do capítulo anterior – http://pulpstories.com.br/luiz-hasse/a-princesa-cativa-6/ CAPITULO FINAL Na noite em que o verão virava outono, os companheiros estavam reunidos numa estalagem a beira da estrada, bebendo e comendo e abrigados contra o frio. – Gyanda casa-se hoje, lembram-se? – lembrou Remo – Como é possível esquecer? Este jantar se deve a isto. – respondeu Donar. […]

 
Ler mais →

Link do capítulo anterior – http://pulpstories.com.br/luiz-hasse/a-princesa-cativa-5/ CAPITULO SEIS Na hora mais escura da noite escura, Lana, Donar e Remo chegaram ao lago e, invisíveis aos argutos olhos que vigiavam lá de cima, começaram a contorna-lo pelas ramagens e arbustos que havia em sua margem. Não fosse a espessa cobertura vegetal que se criara ao redor daquela […]

 
Ler mais →

Link do capítulo anterior – http://pulpstories.com.br/luiz-hasse/a-princesa-cativa-4/ CAPITULO CINCO Se não fosse o brilho que seus olhos lançavam com luz própria, Lana teria sido pega de surpresa. Mas o fato é que, mesmo sem o menor som, a criatura ainda denunciou-se, um instante antes do ataque. A luz alaranjada daqueles olhos foi pega de relance pela visão […]

 
Ler mais →

Link do capítulo anterior – http://pulpstories.com.br/luiz-hasse/a-princesa-cativa-3/ CAPITULO QUATRO – Pode-se dizer que tivemos sorte. – comentou Redulff – Pegamos esses três antes que alertassem todo o bando. – Vamos ter que agir antes do que pensávamos. Não vai haver tempo pra planos demorados ou pegar bagagem extra. Vamos partir agora, antes que o próprio Lorde sinta […]

 
Ler mais →

Link do capítulo anterior http://pulpstories.com.br/luiz-hasse/a-princesa-cativa-2/ CAPITULO TRÊS Temeroso, como é próprio dos homens de seu tipo, Suda esgueirou-se por entre as árvores, na calada da madrugada, e depois de parar e escutar várias vezes ao longo da jornada para assegurar-se de que não havia ninguém por perto, chegou ao local combinado. O terreno descia ligeiramente. Alguém […]

 
Ler mais →

Link do capítulo anterior – http://pulpstories.com.br/luiz-hasse/a-princesa-cativa/ CAPITULO DOIS Na pequena câmara de reuniões, no silêncio e escuridão da madrugada, o Lorde de Gardalan conferenciava com quatro homens e uma mulher. Eram Donar, o Jovem, e seus Quatro Desertores, e nenhum deles gozava de boa reputação naquelas paragens ou em qualquer lugar onde seus nomes fossem conhecidos. […]

 
Ler mais →