Link do capítulo anterior – http://pulpstories.com.br/luiz-hasse/a-princesa-cativa-6/ CAPITULO FINAL Na noite em que o verão virava outono, os companheiros estavam reunidos numa estalagem a beira da estrada, bebendo e comendo e abrigados contra o frio. – Gyanda casa-se hoje, lembram-se? – lembrou Remo – Como é possível esquecer? Este jantar se deve a isto. – respondeu Donar. […]

 
Ler mais →

Link do capítulo anterior – http://pulpstories.com.br/luiz-hasse/a-princesa-cativa-5/ CAPITULO SEIS Na hora mais escura da noite escura, Lana, Donar e Remo chegaram ao lago e, invisíveis aos argutos olhos que vigiavam lá de cima, começaram a contorna-lo pelas ramagens e arbustos que havia em sua margem. Não fosse a espessa cobertura vegetal que se criara ao redor daquela […]

 
Ler mais →

Link do capítulo anterior – http://pulpstories.com.br/luiz-hasse/a-princesa-cativa-4/ CAPITULO CINCO Se não fosse o brilho que seus olhos lançavam com luz própria, Lana teria sido pega de surpresa. Mas o fato é que, mesmo sem o menor som, a criatura ainda denunciou-se, um instante antes do ataque. A luz alaranjada daqueles olhos foi pega de relance pela visão […]

 
Ler mais →

Link do capítulo anterior – http://pulpstories.com.br/luiz-hasse/a-princesa-cativa-3/ CAPITULO QUATRO – Pode-se dizer que tivemos sorte. – comentou Redulff – Pegamos esses três antes que alertassem todo o bando. – Vamos ter que agir antes do que pensávamos. Não vai haver tempo pra planos demorados ou pegar bagagem extra. Vamos partir agora, antes que o próprio Lorde sinta […]

 
Ler mais →

Link do capítulo anterior http://pulpstories.com.br/luiz-hasse/a-princesa-cativa-2/ CAPITULO TRÊS Temeroso, como é próprio dos homens de seu tipo, Suda esgueirou-se por entre as árvores, na calada da madrugada, e depois de parar e escutar várias vezes ao longo da jornada para assegurar-se de que não havia ninguém por perto, chegou ao local combinado. O terreno descia ligeiramente. Alguém […]

 
Ler mais →

Link do capítulo anterior – http://pulpstories.com.br/luiz-hasse/a-princesa-cativa/ CAPITULO DOIS Na pequena câmara de reuniões, no silêncio e escuridão da madrugada, o Lorde de Gardalan conferenciava com quatro homens e uma mulher. Eram Donar, o Jovem, e seus Quatro Desertores, e nenhum deles gozava de boa reputação naquelas paragens ou em qualquer lugar onde seus nomes fossem conhecidos. […]

 
Ler mais →