Link de todos os capítulos já postados –pulpstories.com.br/category/sombra-negra

CAPITULO 25

– Ora! Ora! Ora! Finalmente vou conhecer o pistoleiro negro que vem me perseguindo por todo esse tempo. – Falou Hogar com uma voz grave sem mexer um musculo se quer.

– É sempre um prazer conhecer um tirano mal intencionado como você Hogar. Pena que não teremos muito tempo para cultivar uma bela amizade.

– Quem o contratou pistoleiro negro? Eu pago o dobro. Trabalhe para mim. Sei que é um mercenário. Seus serviços seriam de grande utilidade.

– Você sabe que a proposta seria até interessante se eu não quisesse arrancar sua cabeça e mijar dentro dela. Guarde sua língua Hogar. Ira precisar dela para suplicar quando estiver acabando com você.

– Teve sua chance pistoleiro negro. É uma pena, mas vou ter que esmagar seus ossos.

Hogar virou se para me encarar. Era um sujeito enorme com mais de dois metros de altura. Um perfeito ogro. Pelos boatos jamais havia sido derrubado por um oponente. Espero que hoje seja a primeira vez.

– Vou contar até cinco pistoleiro. É a chance que tem para mudar sua resposta. Depois disso, vou reduzi lo a pó.

Foram cinco segundos que pensei em como atacar aquele sujeito enorme. Saquei minhas duas pistolas, e quando pensei em fazer mira, Hogar partia para cima de mim como um trem desgovernado. Que ironia. Um trem em cima de outro trem. Isso daria um belo desenho.

Disparei contra o mesmo com minhas duas pistolas. Hogar aparou com suas mãos meus tiros, e praticamente comeu minhas balas. Por uma fração de segundos eu consigo desviar de seu ataque, que arrancaria minha cabeça. Dou um rolamento por baixo de seus braços, saindo em sua retaguarda. Quando me posto de pé, lá está Hogar, partindo para cima de mim com uma fúria impressionante. Como um cara com todo aquele tamanho poderia ser tão rápido.

Mais rápido que pude, saquei minhas pistolas, e atirei contra o corpo de Hogar novamente. Como se estivesse tomando café da manhã ele ignorou completamente o chumbo quente que atingia seu corpo.

Quando fui efetuar o movimento de escape de seu ataque, já estava voando a metros de distância. Hogar me atingiu em cheio, e nem mesmo eu com meu olho ciclope consegui prever seu ataque.

Como isso porra. Por mais duro que fossem meus inimigos, sempre conseguia prever seus movimentos. E dessa vez parece que algo deu errado.

– Melhor você se render pistoleiro negro. Parece que sua vitamina acabou. Desse jeito vou mastigar teus ossos. – Disse Hogar dando uma enorme gargalhada.

Eu caído no chão, ainda acusando o forte golpe que havia levado, respondi.

– Não se preocupe grandão. Se não deixar me bater um pouco, perde a graça. Aliais, estou pensando em fazer uma privada com sua cabeça quando acabar com você.

– A decisão foi sua pistoleiro. Lembre se disso quando estiver implorando para eu não espremer seu cérebro.

Hogar mais uma vez partia para cima de mim. Em poucos segundos ele estaria me golpeando novamente. Teria que agir e rápido. Já está na hora de meu olho ciclope voltar a funcionar, se não estarei ferrado.

Texto de: Mauricio Prestes

Curta a Pulp Stories!