Link de todos os capítulos já postados – pulpstories.com.br/category/sombra-negra

CAPÍTULO VINTE

 

– Dessa vez não terá chance pistoleiro negro. Vou faze lo sangrar igual um porco no abate. Depois de tudo, arrancarei sua cabeça para usar como troféu.

– Falar é fácil meu caro amigo linguarudo. Venha pegar minha cabeça. Mas a debaixo seu monte de merda…

As armas de Jared mais uma vez eram lançadas no ar acima de sua cabeça. A tática de luta dele era interessante. Com sua enorme língua consegui atirar em fração de segundos com suas três armas. Seu ataque era sempre imprevisível devido a posição que suas armas pairavam no ar.

– Você acha que é só isso Sombra…Prepare se para conhecer meu verdadeiro poder pistoleiro Negro.

Jared havia fechado os olhos. Alguns segundos depois um enorme nuvem de fumaça é formada sobre ele. Quando a fumaça baixa, não havia apenas um Jared. Agora eram três. Puta que pariu o linguarudo sem ajuda nenhuma conseguira conjura mais dois dele em fração de segundos. Que raio de pacto demoníaco ele haveria feito para estar tão poderoso assim. Na primeira vez que duelamos, o merdinha era rápido, mas consegui da conta. Agora ele é rápido e muito mais poderoso. Não vou poder piscar um olho, se não estou frito.

– Impressionado Sombra Negra. O que o faz pensar que tem alguma chance contra mim seu pistoleiro de araque…

– Na verdade estou impressionado sim…Como Deus foi permitir três coisas tão feias como você no mundo. Acho que nosso criador estava meio distraído na hora e deixo o capeta caga na terra.

Jared mais uma vez se prepara para atacar. E agora em três. São nove armas para cuidar. Cada um dos linguarudos lança suas armas para o alto. Todas elas em posições diferentes. A língua de Jared trabalha em uma rapidez impressionante. Agora uma tonelada de chumbo quente vem em minha direção. É fogo por todos os lados. Praticamente impossível desviar de todo aquele ataque. Mais rápido que pude, me lancei no ar para escapar do máximo de tiros possíveis. A saraivada veio de cima para baixo, e no ar eu teria mais chance.

Mas como havia falado. Jared estava muito poderoso. E na mesma hora conseguiu direcionar as armas em minha direção. O jeito agora era ser atingido em uma região de menos danos possíveis, e torcer para que o ataque desse uma trégua. Mesmo com toda minha habilidade, fui atingido por uma meia dúzia de tiros nas costas e braços. Caiu igual bosta no chão. O ataque cessa por algum tempo. Eu demoro alguns segundos para recobrar a consciência. E vejo Jared a alguns metros de mim sorrindo com sua enorme língua de fora.

O desgraçado poderia acabar comigo ali mesmo. Mais vejo que suas palavras de me fazer sangrar até a morte, eram verdadeiras. O espirito sádico de Jared, com certeza vai sepultar sua derrota.

– O grande Sombra Negra caído aos meus pés. Quem diria que seria seu fim aqui nesse deserto. Não teve nem graça pistoleiro. Acho que a idade afetou um pouco seus movimentos.

Com muita dificuldade, consegui levantar me do chão. Realmente estava sangrando mais que um porco no abate naquela altura. Se não fizesse algo rápido, seria o meu fim.

– Bla! Bla! Bla! Você acha que já me derrotou. Só pode ser uma piada isso língua de sapo. Já enfrentei adversários muito mais poderosos. Meu peido tem mais estilo que você Jared. Vou enforca lo com a própria língua e vou manda lo para inferno de uma vez por todas.

– Ok pistoleiro…Chega de brincadeira. Agora será seu fim…

Jared mais uma vez fecha seus olhos. Puta que pariu o que vem dessa vez? Quase que instantaneamente três línguas de sapo surgem da boca de cada Jared. Agora são doze línguas para atirar contra mim. Das costas de cada um dos Jared, saltam mais quatro ou cinco armas de grosso calibre. No mínimo havia umas vinte armas pairando sobre as cabeças dos Jareds. O linguarudo já concentrara seu poder máximo. Conseguia ver com meu olho ciclope. Dessa vez ele viria com tudo para acabar comigo de vez. Chegou a hora de apelar…

Texto de: Mauricio Prestes

Curta a Pulp Stories!