Me pego as vezes, tomando uma cerveja,
pensando nas decisões que deixei de tomar,
que certamente,
irão foder minha vida um dia
nunca acreditei no fracasso,
mas vencer certamente, está um pouco além,
de minha alçada
quantas vezes pensei em desistir… mas sempre que pensei, questionei…
desistir de que? qual a razão?
hoje, o que eu tenho? Nada…
E certamente amanhã, não terei
divago enquanto escrevo
quantas frases curtas de efeito, poderia usar?
quanta nitidez constante, encontro na vida?
pensamentos como sempre, vem e vão
as atmosferas se chocam
como verão e inverno divergem
a luz que me guia é volúvel
o mundo se torna aos poucos, cada vez mais imbecil
eu continuo com a cerveja tentando me importar
somente, com o último gole

Texto de: Mauricio Prestes

Curta a Pulp Stories!