Na cidade há luz

Que reluz no olhar

Na cidade há movimento

Na cidade há lugares

Bons

Para morar

Não

para viver…

 

A cidade oferece o conforto,

da monotonia

Oferece o ócio de uma vida,

para se viver em um dia…

 

A cidade acolhe os falsos sofredores,

De falsas dores e pouca inspiração

Que habitam as ruas em grupos de quatro

Andam como ratos, sem direção.

Sem alma, sem verdade, sem presença

A cidade transpira a doença

de uma geração…

 

Eu caminho pela cidade, procuro um lugar,

Para comprar cerveja e negociar

Amizades.

Não acho, nunca acho, ainda não achei

Me mantenho esperançoso, apesar de receoso,

Pois o futuro, parece ser mais do que tudo

Uma ilusão…

 

É difícil ser alcoólatra

Nessa cidade morta.