Ele na sacada

Olhando a rua, as pessoas

Ele sobrevivendo

As pessoas vivendo

Ele analisando

As pessoas observando, olhos perdidos,

Com ele a vida, como algo a ser

Avaliado e reavaliado

Com as pessoas o momento

E as limitações, a frustração

Ele, preso na solidão,

As pessoas presas a rotina

Ele pensa e repensa, sua vida,

Se questiona

A existência, o sentido das coisas

O destino, a verdade a mentira

Os pecados

Ele se joga…

Agora ele está no meio de todos

Livre da solidão, livre da rotina,

Livre das perguntas,

Livre finalmente

Livre.

Poema de: João Martins – facebook.com/profile.php

CURTA NOSSA PÁGINA 🙂  – facebook.com/pulpstoriesbr