Em algum bar(4)

Olhei para a cerveja e disse:

‘’ Então, só eu e você de novo’’

Eu sabia que ela não responderia,

mas gostaria que respondesse.

Era mais bonita,

possuía mais sabedoria

e mais personalidade,

do que qualquer ser humano que conheci.

Eu a amei da maneira mais pura e verdadeira.

A cada gole me sentia mais vivo.

A cada copo me sentia mais feliz.

Compartilhamos dos melhores

e dos piores momentos,

sempre juntos.

Brigávamos muito também,

mas nunca por mais de um dia.

Nós nos acostumamos um com o outro,

não conseguíamos

e nem queríamos

nos separar.

Tudo estava indo bem.

Mas a cerveja, assim como

as mulheres

e o amor

é cruel e imprevisível.

E quando você menos espera,

ela te deixa.

E o que lhe resta é a pior das ressacas,

a mais dolorosa solidão,

e a mais pura tristeza.