Sobre a vida eu falo, com olhares, com atitudes e decisões; a loucura me persegue e eu me escondo em álcool e em coisas ilícitas, descubro o novo todos os dias com cada palavra e respirar de pulmões, a vida, persegue e mata devagar sem ninguém perceber, como a chama de uma vela, que é bonita mas morre com a própria beleza, aos poucos; aprenda com os professores da vida. Ela é traiçoeira e não concorda com nada que você diz, seja como a água e contorne os obstáculos, não tem como aprender, só tem como se acostumar, não devíamos, mas é obrigatório se você procura estabilidade.

Poema de: João Martins – facebook.com/profile.php

CURTA NOSSA PÁGINA 🙂  – facebook.com/pulpstoriesbr