Nem sei quantos dias se passaram

desde aquele dia que teu café esfriou.

Eu assisti a cena de longe

e risos saíram de meus

olhos quando o aqueci

junto do meu.

Subi as escadas do teu

apartamento caminhando

em passos rápidos ansiosa

para o nosso jantar.

Você estava ali com a porta

aberta e a mesa pronta.

A janta estava boa, nossas

conversas, nossos

carinhos e nossas risadas.

Não sei aonde que

terminou, antes do adeus

o café esfriou .

Esfriou porque não sentia

mais nossas almas se

conversarem.

Naquele dia eu tentei te falar

que não sentia mais nossos olhares

se entenderem, nossas

bocas se encaixarem.

Os dias passaram tão

singelos que teu café

esfriou e o meu aqueci

sozinha quando metade de

mim era amor e a outra

metade também.

 

Texto de: Emely Polli
Curta a Pulp Stories!