Escutei todos os álbuns dos Rolling Stones
fumei todos os cigarros da cidade
caminhei por cima dos postes
fazendo sombra inútil, para os mendigos sonambulos
bebi todas as garrafas plasticas de vinho radioativo
acoei de volta para todos os cachorros que me avançaram
mordi uma parede de tijolos que me olhava estranho
espanquei uma estatua de gesso e a fiz sangras
comi uma laranja com casca
caminhei por dias e noites, descalço, em busca de inspiração
nunca encontrei a vagabunda…

Não era pra ser, como gritavam os cactos ao sol
foda-se, alguém gritou, dentro de mim, ou de muito longe mesmo
meus sonhos estão me matando,
mais do que o uísque
mais do que a vida que passa
mais do que o amor que se perdeu

Eu vou morrer louco, eu sei disso…

 

Texto de: Vinícius Prestes Antipoeta )

Curta a Pulp Stories e não perca nenhum texto!