E no meio do banquete, o Tentador apareceu, entrando pela porta da frente. E trazia uma sacola na mão.
– Majestade – disse ele se dirigindo ao Rei – tenho sua alma nesta sacola. O que você me oferece para que eu a liberte?
– Qualquer coisa! – exclamou o Rei – Trata-se de minha alma! Todo o meu tesouro! A rainha! Qualquer um de meus filhos! Peça e eu entrego com minhas mãos!
O Tentador abriu a sacola, olhou seu interior e sorriu:
– Houve um engano, Majestade. Sua alma não estava na sacola quando entrei aqui.
E então fechou-a, olhou o Rei nos olhos e disse:
– Mas agora está.

 Texto de: Luiz Hasse
Curta a Pulp Stories!