A mercê da luz branca que explode meus olhos dentro da construção, leio poemas de 1928 saudades daquela época que eu não vivi meus pensamentos são vultos sem sombras ou asas as palavras me fogem pelas orelhas Eu não sinto muito por qualquer coisa sigo distante de qualquer passado pensar no velho erro é um […]

 
Ler mais →

Certa vez pensei em fugir para longe. Emergir de meu estado psíquico comum.  Nunca gostei de atuações apagadas. Sempre vivi em busca de sentimentos verdadeiros. Odeio casar com a ilusão. Talvez um dia encontrarei o raro. Aquilo que poderíamos encontrar na esquina, na banquinha de cachorro quente. Entre livros e travesseiros sigo minha rotina. A […]

 
Ler mais →

O cheiro de suor mata as flores eu sento num banco, branco de merda seca abro uma cerveja, e tento tirar alguma poesia daquelas, mil vidas, que tentam enganar a morte, correm, correm todos os dias, e não comem carboidrato   Os cachorros sempre foram puramente estúpidos tropeçam no vazio, atrás de esferas de borracha […]

 
Ler mais →

Vocês estão fazendo tudo errado… Portinari, não pintava com o pincel enfiado no rabo… Marina Abramovic, não ficou 700 horas sentada numa cadeira pra ser comparada ao filho da puta que, fica pelado na frente de criança Michelangelo não esculpiu a Pietà, pra você encher um espaço vazio de entulhos e chamar de escultura Shakespeare […]

 
Ler mais →