Link do capítulo anterior – pulpstories.com.br/…taques/gloria-morta-4 V Carlos estava indo para casa, quando o guarda o deteve. A prisioneira escapara. Ele simplesmente não sabia dizer como. Ela estava numa sala com uma única porta e ele próprio diante da porta. -Acho que alguém me acertou porque, no meio do caminho eu… me perdi… eu fiquei como […]

 
Ler mais →

Link do capítulo anterior – pulpstories.com.br/…taques/gloria-morta-3 IV O mundo andava estranho. Era o que pensava Chaves. Muito estranho. Sua amiga de infância, dez anos mais velha que ele, tida por todos como uma mulher gentil e caridosa, morrera recentemente. Diziam que a morte de Dona Eulália fora horrenda. Ela gritava e desesperava, pedindo para ficar, apontando […]

 
Ler mais →

Link do capítulo anterior – pulpstories.com.br/…-morta/gloria-morta-2 III -E aí, Chaves? O que diz o laudo? -Olha, detalhes técnicos a parte, envenenamento. Já estavam mortos há horas, quando a menina chamou a gente. E você lembra como ela chamou? -Sim. A voz parecia de gelo. E ela também parecia de gelo quando nos recebeu lá na casa. […]

 
Ler mais →

Link do capítulo anterior – pulpstories.com.br/…ia-morta/gloria-morta II Docinho. E Lindinha. E Florzinha. Glória acordou ante os berros da mãe e viu o pôster no teto do seu quarto. Ali estavam as heroínas. Puxa! Como a menina desejava ser como elas! Forte, poderosa e independente. Ao mexer-se na cama para levantar, sentiu a dor da surra do […]

 
Ler mais →

I Por uns primeiros e felizes anos, Glória havia sido uma garota comum, de vida simples e pobre, porém feliz, até o dia em que forças militares muito maiores que as de seu insignificante povoado avançaram sobre todos por ali. Muitos dos soldados, talvez a maioria, sequer era humana. Eram aberrações, distorções profanas das crias […]

 
Ler mais →