Todo o domingo, estaremos repostando 3 textos notáveis do site!   Iniciamos com o poema: ELES de Vinícius Prestes! Clique no link para ler: pulpstories.com.br/diversos/eles     O segundo texto indicado é o curto romance: HISTÓRIAS DE AMOR DURAM APENAS 33 MINUTOS, escrito por Mauricio Prestes! Clique no link para ler: pulpstories.com.br/…/especial-dia-dos-namorados-historias-de-amor-duram-apenas-33-minutos     O terceiro texto […]

 
Ler mais →

I   A noite já tinha descido sobre aquelas paragens quando o carro chegou. Diante do casebre solitário, construído à frente de um pequeno bosque, distando pelo menos meio quilômetro da estrada principal, cujo único acesso era uma esburacada e pouco utilizada estrada de terra, parou um automóvel totalmente discrepante do ambiente. Caro, novo e […]

 
Ler mais →

CAPITULO V – FINAL O delegado olhou para o sujeito que estava diante dele, algemado e imóvel. Maicon de Alguma Coisa… um nome comum. Um bandidinho comum. Uma ficha longa, de pequenos delitos, e várias situações mais sérias que não podiam ser provadas… e agora isso. Mudo. Incomunicável. Catatônico. Sentado diante dele sem dizer uma […]

 
Ler mais →

CAPITULO IV O marginal que contratara para matar o irmão e que errara o alvo da primeira vez acertara na segunda. Ele não se atreveria a mentir, já que contara direitinho o que acontecera no fracasso do “assalto”. Até insistira para que o seu “contratador” ficasse com o dinheiro do pagamento. Uma honestidade bizarra e […]

 
Ler mais →

CAPITULO III Chovera durante a tarde toda, no funeral, e parecia que iria continuar chovendo agora que começava a escurecer. Rodrigo adentrou o salão da grande casa que pertencera ao irmão e retirou a capa de chuva que pingava de cima do elegante terno negro que usava. Atirou-a displicentemente no cabide ao lado da porta […]

 
Ler mais →

CAPITULO II Rodrigo não disse uma palavra quando Ricardo voltou ao carro e sentou-se no carona. Manteve o silêncio enquanto ligava o motor e guiava para fora dali, mas olhou com interesse para um certo pacote que o irmão tinha nas mãos. E com surpresa para o sorriso sutil que surgiu em seu rosto alguns […]

 
Ler mais →

PARTE I A noite já tinha descido sobre aquelas paragens quando o carro chegou. Diante do casebre solitário, construído à frente de um pequeno bosque, distando pelo menos meio quilômetro da estrada principal, cujo único acesso era uma esburacada e pouco utilizada estrada de terra, parou um automóvel totalmente discrepante do ambiente. Caro, novo e […]

 
Ler mais →