ÚLTIMO CAPITULO Minha próxima lembrança é o hospital, e um policial me interrogando enquanto eu curava queimaduras e cicatrizava ossos trincados. Eu devia, seguramente, estar grogue devido aos anestésicos, pois contei a ele o que você acabou de ler aqui. E repeti a história no tribunal, quando fui acusado de homicídio. Passei os últimos dez […]

 
Ler mais →

CAPITULO DEZ Lá fora, a coisa se ergueu mais uma vez. Rastejou para fora de sua cripta aquática e entrou pela porta dos fundos, confiante. Já não nos temia mais. Veio até nós. Nós a vimos chegar na penumbra da cozinha, onde ambos estávamos, e havia duas portas ali, uma em direção à frente da […]

 
Ler mais →

CAPITULO NOVE À luz da vela, Gustavo continuava imóvel, e na parede oposta, estava encostado o pai dele, com Morgana à frente, agarrada pelos cabelos, e o seu algoz segurava com a outra mão uma das tesouras do estojo de primeiros socorros contra sua garganta. O Sr. V. tinha os dentes arreganhados e cerrados, e […]

 
Ler mais →